Exames Realizados

Anatomia Patológica
(Peças cirúrgicas, biópsias, etc)

Citopatologia

Imuno-Histoquímica

Hibridização Molecular (HPV)

Orientações gerais para exames de anatomia patológica

PEDIDO MÉDICO

O pedido médico é um documento obrigatório em todas as solicitações (biópsias, peças, citologias, imuno-histoquímica, hibridização, FISH, revisões e etc). Seu preenchimento é de inteira responsabilidade do médico que realizou o procedimento, e obrigatoriamente deve conter:

  • Nome completo do paciente (de preferência sem abreviações).
  • Número de registro hospitalar ou RG.
  • Idade e data de nascimento.
  • Sexo.
  • Etnia.
  • Nome do local em que foi realizado o procedimento (Clínica, hospital, centro médico e outros).
  • Local anatômico do procedimento.
  • Identificação do material.
  • Identificação precisa das margens, quando necessário.
  • Desenhos esquemáticos para melhor posicionamento anatômico, quando necessário.
  • Resumo clínico.
  • Resultado de outros exames complementares, relevantes (radiológicos, laboratoriais e outros).
  • Hipóteses clínicas.
  • Telefone de contato (para eventual discussão do caso).
  • Nome legível do médico.
  • Número de registro junto ao Conselho Regional de Medicina.

FIXAÇÃO DE BIÓPSIAS, PEÇAS CIRÚRGICAS E LÍQUIDOS.

Biópsias: Logo após a retirada, o material (fragmento(s) de tecido) deve ser colocado em formol a 10%, salvo as indicações específicas. É de suma importância que o material fique submerso e que o volume do formol seja 5 a 10 vezes o volume do material retirado. Não pode ser colocado em geladeira ou congelador.

Peças Cirúrgicas: Logo após a retirada, o material deve ser colocado em formol a 10%, salvo em caso de solicitação de exame peroperatório (congelação). É de suma importância que o material fique submerso e que o volume do formol seja 5 a 10 vezes o volume do material retirado. Não pode ser colocado em geladeira ou congelador.

Lâminas de Punção Aspirativa: As lâminas devem ser fixadas em álcool comercial (92,8%) imediatamente após a sua confecção. O frasco deve ser bem fechado. Não pode ser colocado em geladeira ou congelador.

Obs: Pode deixar algumas lâminas secar sem fixador, sendo estas colocadas em frasco separado e devidamente identificado (lâminas sem fixador ou lâminas secas), visto que a coloração para lâminas sem fixador é diferente. As lâminas secas não podem ser colocadas posteriormente em álcool.

Líquido em Seringa: É necessário acrescentar o mesmo volume de álcool comercial (92,8%) (exemplo: seringa com 10 ml de líquido acrescenta-se 10 ml de álcool comercial (92,8%), não pode ir para a geladeira ou congelador). Outra forma de conservar é colocar a seringa na geladeira, sem acréscimo de álcool, contudo o período máximo na geladeira é de 24 horas.

Secreção de mama: Confeccionar lâminas de esfregaço e fixá-las imediatamente em álcool comercial (92,8%). Não pode ser colocado em geladeira ou congelador.

Secreções e líquidos coletados em frascos (líquido pleural, líquido ascítico, líquido pericárdio,  lavados e escovados (oral, brônquico, peritoneal e outros): É necessário acrescentar o mesmo volume de álcool comercial (92,8%) (exemplo: frasco com 10 ml de líquido acrescenta-se 10 ml em álcool comercial (92,8%), não pode ir para a geladeira ou congelador). Ressaltamos ainda que se o volume coletado for abundante, basta separar de 10 a 20 ml e fixar com igual volume de álcool comercial (92,8%).

Líquor:  Primeiramente, o envio depende do objetivo da avaliação, visto que bioquímica, avaliação de proteínas, imunoglobulinas e pesquisa de agentes infecciosos, são exames de patologia clínica, e o material deve ser enviado ao laboratório clínico, conforme recomendações do mesmo.

Obs.: Para a avaliação de neoplasia, a melhor técnica é a imunofenotipagem (citometria de fluxo), realizada pela patologia clínica, e o material deve ser enviado ao laboratório clínico, conforme recomendações do mesmo.

A citologia oncótica apresenta baixa sensibilidade, e para a sua avaliação, é necessário acrescentar o mesmo volume de álcool comercial (92,8%) (exemplo: frasco com 1 ml de liquor, acrescenta-se 1 ml de álcool comercial (92,8%), não pode ir para a geladeira ou congelador). O frasco para coleta não deve ser de vidro (adesividade celular).

Biópsia renal para microscopia eletrônica: As biópsias renais para microscopia eletrônica devem ser coletadas separadamente, e conservadas em Glutaraldeído.

Biópsia hepática com suspeita de Doença de Deposito: Além da retirada de material para exame convencional (formol a 10%), deve ser realizada biópsia para avaliação em microscopia eletrônica, conservada em Glutaraldeído.

COLORAÇÕES ESPECÍFICAS

São técnicas histoquímicas para detecção, identificação ou quantificação de substâncias presentes, acumuladas ou de microorganismos. Algumas biópsias requerem colorações específicas para melhor avaliação, e estas colorações devem ser solicitadas no pedido médico (quando há suspeita clínica). As principais indicações e as respectivas colorações estão identificadas logo abaixo:

  • Pesquisa de H. Pylori (Giemsa modificado).
  • Hanseníase (Ziehl-Neelsen ou Fite-Faraco).
  • Pesquisa de fungos (PAS com diástase ou Grocott).
  • Pesquisa de micobactérias (Ziehl-Neelsen ou Fite-Faraco).
  • Biópsia de pele com suspeita de Lúpus Eritematoso (PAS para avaliar membrana basal e Alcian-Blue para avaliar mucina na derme).
  • Biópsia hepática (Tricrômico de Masson e Reticulina para avaliar fibrose e Perls para avaliar deposito de ferro).
  • Biópsia de medula óssea (Reticulina para avaliar fibrose).
  •  Amiloidose (Vermelho Congo).

IDENTIFICAÇÃO DOS FRASCOS E SERINGAS

Os frascos e seringas devem ser identificados com etiqueta adesiva, que obrigatoriamente devam conter, de forma legível:

  • Nome completo do paciente (de preferência sem abreviações).
  • Número de registro hospitalar ou RG.
  • Identificação do material.
  • Nome do médico.
  • Numeração do frasco, em caso de mais de um frasco.

IDENTIFICAÇÃO DE LÂMINAS DE CITOLOGIA E DE ASPIRADOS

As lâminas utilizadas em citologia e aspirados devem ter em uma das extremidades, área fosca, que obrigatoriamente devem ser identificadas pelo médico responsável pela sua confecção, e devem conter:

  • Iniciais do nome do paciente.
  • Número de registro.
  • Identificação do local (exemplo: direito, esquerdo, lavado, aspirado e outros, se necessário) ou numeradas em ordem crescente.

IMUNOFLUORESCÊNCIA E MICROSCOPIA ELETRÔNICA

A imunofluorescência é aplicada na pesquisa de antígenos principalmente em biópsias renais e de pele. O tecido deve ser acondicionado em meio de transporte (solução de Michel).

A microscopia eletrônica é indicada principalmente em rim e fígado. O material deve ser coletado separadamente, e colocado em Glutaraldeído.

EXAME PEROPERATÓRIO (CONGELAÇÃO)

Exame realizado durante o ato cirúrgico, a fim de tentar avaliar a lesão/tumor, margens cirúrgicas e comprometimento linfonodal. O material deve ser enviado a fresco, imediatamente após a retirada cirúrgica. O material deve ser acondicionado em frasco, devidamente identificado, sem meio de fixação. O pedido médico deve conter todas as informações habituais e telefones para discussão do caso.

O exame deve ser marcado com antecedência de 24 horas, salvo em caso de necessidade imprevista, que deve ser discutido diretamente com a equipe médica.

LAPMA - Laboratório de Anatomia Patológica Dra. Mônica de Araújo Ltda

Unidade I (Central) - Av. Gonçalo Prado Rollemberg, nº 1684 - B. São José - Tel: (79) 3224-1099 - 3214-6119

Unidade II - Av. Gonçalo Prado Rollemberg, nº 211 - Centro de Saúde Dr. José Augusto Barreto, Sala 512 - B. São José

Unidade III - Av. Ministro Geraldo Barreto Sobral, nº 2131 - Centro Médico Jardins, Sala 205 - B. Jardins

Unidade IV - Fundação São Lucas, Sala 202 - Av. Cel. Stanley Silveira, nº 73 - B. São José